Tribuna do povo

Sede de cidadania - Prof. Hamilton F. de Assis*

Eu tenho uma sede que não passa: sede de cidadania!

Não aquela cidadania genérica e opaca de dicionários, definida como “qualidade de cidadão”. A cidadania de que tenho sede é aquela que mestres como Marx, Bourdieu, Gramsci ou Luther King pregavam e/ou praticavam: aquela que se manifesta na nossa prática, nas nossas ações.

Minha sede é da cidadania que nos impulsiona a agir, a tomar posições (seja lá quais forem), a sair da inércia à qual a maioria de nós se acostumou, a tomar a vida nas mãos e fazer acontecer: gritar, brigar, bradar, marchar, enfim, fazer valer os nossos direitos, nossas idéias, nossas aspirações.

Infelizmente hoje em dia é a cidadania genérica que impera: todo mundo é cidadão, mas quase ninguém quer tomar partido, quase ninguém quer “colocar o braço na seringa”... Aliás, aqueles que o fazem acabam sofrendo as conseqüências de se tornar uma exceção: são logo acusados de estar querendo aparecer, de fazer politicagem, de ter fins escusos, de estar querendo se dar bem.

A nossa sociedade anda tão mesquinha, vil e espúria que quem ousa pensar no bem comum é visto como uma anomalia: no mínimo um encrenqueiro!

Triste realidade, mas assim vamos nós, dia após dia imersos numa piscina de lama da qual muitos tiram proveito, muitos mais se acomodam e uns poucos ousam tentar sair. Infelizmente estes poucos, no mais das vezes, são puxados para dentro da piscina pelos acomodados ou pelos aproveitadores.

De tempos em tempos, alguns dos poucos se destacam, mas o fardo é tão grande, as cobranças tão imperativas e as acusações são tão intensas que acabam cansando de lutar por quem não quer viver a verdadeira cidadania. Conseqüência: deixam de gritar, brigar, bradas, marchar, enfim, deixam de viver a verdadeira cidadania. Não por não acreditar nela, mas por terem sugadas as suas forças, diante do mar de comodismo e mesquinharia que se tornou a nossa sociedade.

E enquanto isso tudo vai acontecendo, permaneço sem conseguir matar a minha sede, já que infelizmente não encontramos senão gotas da verdadeira cidadania...

O prof. Hamiltom F. de Assis é Cientista Social, formado pela Ufba.

Quem sou eu?

Guilherme Santos, repórter, radialista e comunicador baiano que atua a serviço da população há mais de 30 anos

Matérias anteriores
Redes Sociais
  • Facebook Basic Black
  • YouTube Basic Black
Tags relacionados
This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now